Você usa psicologia ambiental para projetar espaços corporativos?

Sempre falamos sobre como a neuroarquitetura se tornou uma aliada da construção de ambientes corporativos muito mais saudáveis física e emocionalmente. Assim, estamos sempre observando pesquisas científicas que falam sobre o comportamento humano dentro dos espaços construídos. Para esse texto, analisamos um estudo publicado por pesquisadores da Escuela de Arquitectura, Arte y Diseño, do México, em parceria com profissionais espanhóis e norte-americanos, que menciona os efeitos do ambiente no nível cognitivo das pessoas.

Intitulada “Projeto Cognitivo-Emocional e o estudo do espaço arquitetônico”, a publicação trazalguns apontamentos interessantes para quem atua com projetos corporativos e que resumem, de certa forma, muitos dos temas que estamos abordando por aqui nos últimos anos. Há algum tempo, inclusive, fizemos um texto que cita a ergonomia cognitiva, que tem muito a ver com os detalhes que listaremos a seguir (clique AQUI se quiser acessar).

Reforçando que a estimulação ambiental deficiente afeta o desenvolvimento do cérebro, o estudo relata,por exemplo, que ruído e falta de vegetação desencadeiam estresse (e é preciso lembrar que o estresse é fator que impacta negativamente a expectativa de vida). Do ponto de vista social, menciona que o ambiente pode promover o coletivismo (soft skill tão desejada pelos líderes para seus times), atrair candidatos e melhorar a sensação de pertencimento, bem como o comportamento dos usuários.

Detalhando a psicologia ambiental para abordar a dimensão cognitivo-emocional da arquitetura, o estudoenfatiza a importância do design baseado em evidências, processo de fundamentar decisões sobre o ambiente construído em pesquisas confiáveis (temos um post falando sobre isso bem AQUI).

Por fim, a publicação traz uma tabela de percepções muito interessantes. Para complementá-la, colocamos, ao lado de cada variável, uma observação direta sobre o ambiente de trabalho. Confira!

Para ler o estudo na íntegra e extrair ainda mais conhecimento acerca da neuroarquitetura e da psicologia ambiental, clique AQUI.

Voltar para home Espaço do Arquiteto
Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *