Tendências que marcam o futuro do trabalho – Uma seleção de temas relevantes

Na primeira semana de março, a revista Você RH publicou uma matéria interessante para ser analisada por todos que atuam com arquitetura e design. Com o título “Futuro do trabalho: as 20 tendências que vão marcar os próximos anos”, o texto traz dados de um relatório do ManpowerGroup que destaca quais os pontos que hoje merecem atenção de empresas e profissionais.

Entre os 20 temas apresentados, selecionamos aqueles que mais estão integrados ao nosso universo. Confira abaixo!

1. Diversidade, equidade e inclusão – O Brasil está trabalhando para ampliar a diversidade, a equidade e a inclusão do mercado de trabalho. Na nossa visão, a arquitetura precisa acompanhar esse movimento para ofertar ambientes que atendam a todos esses públicos que – se tudo der certo – trabalharão cada dia mais em conjunto. Isso significa que os projetos corporativos precisam entender que dentro de uma mesma empresa estarão trabalhando perfis totalmente diferentes.

2. Encontro de gerações no ambiente de trabalho – Aqui também há uma perspectiva da diversidade e o layout do espaço tem grande interferência. Sabemos que a geração mais antiga muitas vezes está habituada a trabalhar em um formato de escritório mais individualizado. Ao mesmo tempo, os mais jovens buscam espaços colaborativos e que promovem o contato direto e a integração com os pares. Mas é possível agradar os dois públicos pensando em um projeto multispace! Quer saber sobre isso? Acesse ESSE POST.

3. Mais flexibilidade, autonomia e escolha para os indivíduos – A revista traz esse ponto pensando principalmente na cultura corporativa. Mas não há como dissociar a arquitetura da cultura. Se teremos cada vez menos posições hierárquicas, com o poder na mão dos indivíduos, o escritório precisa refletir essa situação. Salas individuais para os altos cargos começam a cair em desuso, colocando todos em uma linha horizontalizada de poder.

4. Saúde mental tão importante quanto a física – Com a pandemia, a temática da saúde mental ganhou ainda mais valor e os escritórios, além de se adequarem aos novos formatos de trabalho, precisam prestar atenção em como o ambiente impacta a saúde mental dos colaboradores. Para isso, espaços que promovam o relaxamento, são necessários assim como projetos que pensem em neuroarquitetura e envolvam conceitos da biofilia para garantir bem-estar.

5. Eliminação de silos organizacionais – Silos organizacionais ocorrem quando algumas áreas da empresa agem de forma independente, não se comunicam e não se integram com o restante dos times.A matéria reforça a importância de construir um ambiente integrado em que as pessoas ajam como aliadas. Para isso, o layout dos escritórios precisa estar focado em espaços colaborativos e que promovam a troca de experiências entre os pares.

6. Mundo híbrido e a onipresença digital – Com a covid-19 percebemos que o mundo está híbrido e que há menos distanciamento geral entre o presencial e o digital. Assim, as empresas precisam estar adaptadas para receber times mistos e permitir que pessoas que estão in loco consigam se relacionar perfeitamente com aquelas que estão atuando remotamente.

7. Toda empresa deve ser uma empresa de saúde – O texto da Você RH é autoexplicativo. Ele diz “circulação de ar, distanciamento entre as mesas de trabalho e pouco contato das mãos com superfícies continuarão a ser temas relevantes para os próximos anos”.

Quer conferir a matéria na íntegra? Clique AQUI.

Voltar para home Espaço do Arquiteto
Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *