Conforto térmico – Revestimentos para o verão

Conforto térmico – Revestimentos para o verão

Sala Executiva com mobiliário da RS Design apresenta porcelanato no piso, promovendo conforto térmico ao ambiente. Crédito: Divulgação RS Design

Durante o projeto arquitetônico, a escolha de pisos e revestimentos deve ser feita pensando muito além da estética. A opção por cada tipo de material acarreta em interferências diretas no dia a dia do usuário. Hoje, com as pessoas cada vez mais preocupadas com o conforto e também com a sustentabilidade, incluindo estudos sobre eficiência e consumo energéticos, planejar todos os detalhes que possam aumentar ou diminuir a temperatura interna é indispensável. Mesmo por que o ar condicionado é um dos grandes vilões da economia de energia nos imóveis brasileiros.

Essa preocupação é comum tanto na arquitetura de espaços residenciais quanto corporativos, visto que é fundamental garantir o conforto térmico também dos escritórios, afinal profissionais passam 1/3 de seus dias imersos naquele ambiente, enfrentando as quatro estações do ano. Além do conforto térmico ter papel direto na produtividade da equipe, espaços comerciais que contam com uma grande quantidade de equipamentos eletrônicos precisam obrigatoriamente planejar essa temperatura a fim de evitar gastos excessivos (e perda de tempo) com manutenção das máquinas.

Pensando em tudo isso, e considerando que o Brasil é um país tropical com temperatura média elevada mesmo nos períodos de inverno, quais tipos de revestimentos são interessantes para contribuir com o conforto térmico de casas e empresas? Para entender melhor que tipo de cobertura contribui para manter uma temperatura agradável nos ambientes mesmo durante o alto verão, listamos algumas opções. Confira abaixo!

Porcelanato – O porcelanato promove justamente o que ele aparenta: frescor. Podendo ser aplicado tanto em pisos quanto em paredes, é um tipo de material que não retém calor e contribui para manter o ambiente menos aquecido.

Azulejo – Com aplicação padrão em áreas molhadas (como copas, cozinhas e banheiros), o azulejo também tem a tendência a resfriar os espaços. No ambiente corporativo não tem uma aplicabilidade tão comum, mas ainda assim pode ser pensado para espaços de oficinas e manutenções pois além de contribuir com o conforto térmico promove uma limpeza mais fácil e uma manutenção prática. Quem gosta de ousar também pode apostar neste tipo de revestimento para compor a décor de recepções e espaços de descompressão.

Cimento Queimado – Por ser moderno, o cimento queimado já caiu nas graças dos arquitetos e decoradores. Além da beleza, oferece uma ótima durabilidade e também é considerado um revestimento frio, ou seja, também promove frescor ao ambiente. É uma ótima opção para espaços corporativos, principalmente quando a décor segue estilos mais modernos e industriais. Lembrando que é aplicável tanto em pisos quanto em paredes.

Mármore egranito – Assim como o porcelanato e o cimento queimado, pedras naturais podem servir tanto como pisos quanto como revestimentos. É muito comum observarmos uma grande quantidade de mármores ou granitos em áreas comuns de prédios comerciais, incluindo hall de elevador e recepção. São materiais mais caros e que acabam exigindo um pouco mais de manutenção para que se mantenham bonitos por mais tempo. Porém são ótimas opções para manter espaços mais frescos e com visual elegante e nobre.

Porcelanato líquido –Bonito e versátil por proporcionar um acabamento liso com aspecto brilhante, tem aparecido cada vez mais nos projetos corporativos no Brasil. Porém, pensando em conforto térmico, é interessante destacar que o porcelanato líquido não oferece sensação de frescor tanto quanto o porcelanato comum. Por ser um tipo de resina, tende a promover mais sensação de aquecimento, tanto que é uma ótima opção para ser aplicada junto ao piso térmico.

Aqui no Espaço do Arquiteto já postamos, também, um comparativo sobre os diferentes tipos de pisos madeirados que, prioritariamente, contribuem para deixar o espaço mais aquecido. Clique AQUI para conferir.

Voltar para home Espaço do Arquiteto
Comentários
1 Comentário
  1. Regina de Campos Oliveira

    Bom dia! Moro numa cidade muito quente, Cuiabá-MT. Fiquei sabendo desse revestimento 3D e achei muito bonito. A pergunta é para esse clima de 43 grau é uma boa idéia usar esse material? Gostaria da opinião de vcs

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *