Soluções acústicas que promovem bem-estar e serão tendência na retomada do trabalho presencial

A mesma ideia pode ser aplicada nas mesas. As divisórias (que podem também ser portáteis) auxiliam na construção de um espaço de trabalho mais isolado e silencioso.

Temos, hoje, um desafio em mãos quando o assunto é o planejamento dos espaços corporativos. Muitos trabalhadores foram obrigados a trabalhar em casa por meses a fio. Com isso, uma grande parcela se viu diante de um problemão: como se concentrar no trabalho se há tanto barulho doméstico proveniente da cozinha, da sala e de todos os outros cômodos?

Para esse grupo de profissionais, voltar para o escritório também representa voltar a trabalhar em um local com o silêncio necessário para o seu melhor desempenho. E as empresas precisam reconhecer essa demanda para não frustrar seus funcionários agora no retorno.

Porém, com os escritórios cada vez mais abertos e os ambientes integrados, o dinamismo entre as equipes foi favorecido (e a sociabilidade também, o que é ótimo para a volta do isolamento), mas gerou um grande inconveniente: o ruído. O som das conversas, dos sapatos circulando, das gavetas e portas abrindo e fechando, dos celulares tocando, dos equipamentos eletrônicos funcionando e até dos dedos nos teclados dos computadores, se não forem tratados, contribuem para o estresse dos profissionais.

E não é só isso. A exposição diária ao ruído em excesso ainda atinge a saúde do indivíduo, como revela um estudo publicado no JAMA Network e que já apresentamos AQUI. A pesquisa mostra que os ruídos no local de trabalho impactam diretamente a saúde do coração e que pressão alta e colesterol elevado são mais comuns entre profissionais com empregos barulhentos. Além disso, uma avaliação do Centro para Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) diz que a exposição ao ruído no ambiente de trabalho é responsável por 58% dos problemas de audição; 14% dos casos de hipertensão arterial; e 9% das pessoas com colesterol elevado.

Porém, se o ambiente for preparado com produtos que tragam conforto acústico, os profissionais se sentirão bem, motivados e até mesmo saudáveis. Especialistas afirmam que um som agradável e calmo, torna o espaço relaxante e tranquilo – ideal para a criatividade e produtividade.

O bacana é que o mercado, já sabendo dessa necessidade, elaborou soluções muito positivas que tornam o ambiente sonoramente agradável e, ao mesmo tempo, atuam para a renovação estética do local. Entre as áreas que podem ser beneficiadas com essas soluções acústicas estão os espaços para reunião, as salas de refeição, os locais para atividades focadas e que exigem concentração e áreas para brainstorm de ideias.

“Quanto mais o ambiente for preparado com produtos de condicionamento acústico, mais as pessoas se sentirão bem. O impacto será visível no humor, na concentração, na capacidade de gerar novas ideias e até na saúde de todos”, comenta Lisandra Mascotto, da RS Design.

Quais os caminhos para a construção desse espaço onde o som deixa de ser um problema e passa a ser a solução? Focar na elaboração de projetos totalmente personalizados, valorizando a criatividade; e apostar em produtos com conceito moderno que valorizam o design e que sejam, também, sustentáveis.

Entre os produtos que podemos destacar como soluções acústicas e estéticas estão baffles, grids, nuvens, painéis, divisores para mesas e para ambientes, e até mesmo luminárias. Confira, abaixo, algumas das soluções que integram o portfólio da RS Design e repense seus projetos com essa nova visão, pois a realidade que estamos adentrando privilegia a saúde e o bem-estar dos trabalhadores.

 

As nuvens, que também podem ser aplicadas em uma ampla cartela de cores, fazem com que o ambiente fique muito mais confortável no quesito barulho.

Voltar para home Espaço do Arquiteto
Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *