Rir é o melhor remédio?

Rir é o melhor remédio?

Você sabia que o riso aciona as mesmas regiões do cérebro do que comer um pedaço de chocolate? Pois estudos comprovam que é exatamente o que acontece. E, se podemos comparar a risada genuína à ingestão prazerosa desse doce, podemos entender que rir faz muito bem à saúde.

Nos tempos modernos onde a exaustão trazida pela pressão corporativa ganha visibilidade e desperta a atenção inclusive de profissionais dedicados à manutenção da saúde mental, todas as alternativas descobertas para melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores são bem-vindas.

Analisando um estudo desenvolvido nos Estados Unidos pelo neurocientista Robert Provine, autor do livro“Laughter: A ScientificInvestigation” e especialista em observar o impacto do riso nas comunidades, chegamos à conclusão que o ambiente corporativo pode contribuir para a saúde dos profissionais ao prover um espaço aconchegando, divertido e motivador capaz de estimular o riso.

Isso pois essa pesquisa afirmou que o real ponto de partida da risada está no bate-papo descontraído. Segundo a publicação, as pessoas riem até 30 vezes mais quando estão acompanhadas do que quando estão desempenhando atividades solitárias. Mesmo que essas atividades sejam ler um livro ou ver um filme.

Como estimular, então, o riso no ambiente corporativo sem prejudicar o desempenho das atividades? Por meio da criação de espaços dedicados à interação social.

“Além de investir em salas de descompressão – algo bastante conhecido nas empresas hoje em dia – o arquiteto responsável pelo projeto corporativo pode apostar em locais para atividades em grupo, espaços compartilhados que serão ocupados pelas pessoas enquanto elas realizam tarefas que exigem menos concentração”, comenta Lisandra Mascotto, da RS Design.

Como estimular, então, o riso no ambiente corporativo sem prejudicar o desempenho das atividades? Por meio da criação de espaços dedicados à interação social.

“Além de investir em salas de descompressão – algo bastante conhecido nas empresas hoje em dia – o arquiteto responsável pelo projeto corporativo pode apostar em locais para atividades em grupo, espaços compartilhados que serão ocupados pelas pessoas enquanto elas realizam tarefas que exigem menos concentração”, comenta Lisandra Mascotto, da RS Design.

Voltar para home Espaço do Arquiteto
Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *