Os ambientes de cura de um hospital do Qatar

* Por Lisandra Mascotto

O Sidra Medical and Research Center em Doha, no Catar, tem uma estrutura externa extremamente moderna

O Sidra Medical and Research Center em Doha, no Catar, tem uma estrutura externa extremamente moderna

Viagens são inspiradoras. E é buscando inspiração que eu programo toda minha presença pelo mundo. Em janeiro de 2020, antes de nos depararmos com a gravidade da pandemia de COVID-19, estive em Doha, no Qatar. E por lá eu absorvi muita cultura arquitetônica, um conhecimento valioso que eu trouxe para o Brasil a fim de aplicar muito do que vi em terras estrangeiras aos nossos produtos, processos e formas de colaborar com os nossos parceiros arquitetos.

E antes mesmo de saber que viveríamos um 2020 focado no mercado de saúde a fim de combater um vírus altamente contagioso, fiz uma visita ao Sidra Medical and Research Center e sua encantadora estrutura.

A estrutura do prédio, extremamente moderna, é de aço, vidro e cerâmica branca. E toda essa fachada tem a capacidade de refletir o belo céu do Oriente Médio. Já a parte interna tem muita madeira e vegetação.

Muita madeira natural em todo ambiente do Sidra Medical and Research Center

Muita madeira natural em todo ambiente do Sidra Medical and Research Center

Construído em 2017, o hospital tem quase 140 mil metros quadrados e 380 leitos. Tem foco na saúde infantil e na saúde da mulher, principalmente gestante. Inclusive tem esculturas enormes e incríveis mostrando a jornada na vida, desde a concepção até o nascimento, bem na entrada, o que me impressionou e até me emocionou pelo tema.

Quem chega à essa unidade de saúde se depara com 14 esculturas com 14 metros de altura cada uma, feitas de bronze e representando o desenvolvimento dos bebês. A arte é intitulada “The Miraculous Journey”, e a sequência termina com uma obra de um recém-nascido. A criação é do artista britânico Damien Hirst e chama muito a atenção, principalmente pelo fato de que o estabelecimento está dedicado à saúde da mulher.

14 esculturas em bronze de 14 metros de altura cada uma, de Damien Hirst, intituladas “The Miraculous Journey” impressionam logo na entrada do Sidra Medical Centre, em Doha, no Qatar

14 esculturas em bronze de 14 metros de altura cada uma, de Damien Hirst, intituladas “The Miraculous Journey” impressionam logo na entrada do Sidra Medical Centre, em Doha, no Qatar

Uma das coisas que mais me chamou a atenção foi a biofilia que se faz presente na arquitetura desse hospital, com propósito de fazer parte do tratamento e cura das pessoas, influenciando-as com uma sensação instantânea de bem-estar.

Os quartos para internações dão vista para jardins onde há muito verde, água e claridade, agindo a favor dessa sensação de cura que tanto atrelamos à natureza. Eles, inclusive, chamam esses espaços de “jardins de cura”. Ao todo são três jardins que, segundo o próprio hospital, surgem como oásis visuais relaxantes. E o ambulatório está conectado ao prédio central por uma passarela de vidro também cercada por verde e água.

Os famosos jardins de cura do Sidra Medical and Research Center têm muito verde, claridade e água

Os famosos jardins de cura do Sidra Medical and Research Center têm muito verde, claridade e água

As salas de procedimentos também trazem elementos naturais, como essa que tem a estampa de uma grandiosa borboleta na parede

As salas de procedimentos também trazem elementos naturais, como essa que tem a estampa de uma grandiosa borboleta na parede

Todos sabemos que a natureza impacta positivamente nosso comportamento e que cada dia mais nossas estruturas arquitetônicas se direcionam a elementos naturais a fim de promover essa interação entre homem e natureza, tão indispensável para nossa qualidade de vida. E quebrando paradigmas construídos e consolidados ao longo de décadas, esse hospital em Doha aposta em muitos materiais naturais. Tem muita madeira, árvores na parte interna, móveis com formatos orgânicos gerando sensações distintas e importantes para um ambiente de saúde que precisa ser aconchegante e acolhedor.

Árvores e madeira estão por toda a parte nesse hospital modelo do Oriente Médio

Árvores e madeira estão por toda a parte nesse hospital modelo do Oriente Médio

Tudo é pensado dentro do conceito de biofilia: as cores que remetem à terra, à água e ao céu; as formas, sempre mais orgânicas; e as texturas diversificadas dos materiais e revestimentos.

Tudo é pensado dentro do conceito de biofilia: as cores que remetem à terra, à água e ao céu; as formas, sempre mais orgânicas; e as texturas diversificadas dos materiais e revestimentos.

O espaço é tão incrível que quem quiser conhecer pode fazer o agendamento para visita pelo próprio site. É inspirador ver como os ambientes de saúde já compreendem a importância da infraestrutura e de dar atenção ao ambiente construído e, assim, estão apostando na arquitetura para transformar a vida das pessoas e melhorar o tratamento dos pacientes.

* Lisandra Mascotto, da RS Design, é especialista em mobiliário corporativo, tem mais de 25 anos de experiência no segmento e atua com conceitos que estimulam conexões entre as pessoas, por meio do mobiliário, colaborando em projetos corporativos humanizados e funcionais.

Voltar para home Espaço do Arquiteto
Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *