Home office e jornada flexível – Cada vez mais realidade para arquitetos

Arquitetos em home office

Trabalhar em casa é o sonho de muita gente, mas nem todo mundo consegue se organizar na hora de levantar cedo e colocar a rotina de trabalho em dia tendo tantas distrações. Para o arquiteto, que já conta com uma rotina diferente e flexível, o home office tem sido uma opção muito viável tanto para quem é autônomo quanto para quem trabalha em um escritório, mas tem um dia a dia bastante dinâmico que permite que as idas ao espaço físico se resumam a reuniões com parceiros e clientes. Afinal, a otimização de tempo que ganha quem deixa de encarar o trânsito nos horários de pico reduzindo os deslocamentos, é algo realmente tentador.

Mas investir em uma carreira trabalhando em casa exige muito esforço e dedicação. Muito mais, inclusive, do que abraçar o dia a dia de sair cedinho de casa e voltar no final do expediente. “Um dos desafios para quem opta por trabalhar em casa é conseguir um espaço reservado para garantir a concentração”, comenta a arquiteta Renata Amado que sempre desenvolveu suas atividades de arquitetura em sistema home office.
Realmente, ter um espaço dedicado ao trabalho faz toda a diferença! Principalmente para quem sabe como o ambiente, quando mal planejado, interfere drasticamente nas atividades. Mas para quem está habituado a encontrar soluções de arquitetura e decoração, a questão física do espaço não é o problema. O ponto chave é garantir que os outros moradores da residência respeitem este espaço, limitando interrupções e barulhos exagerados. Afinal, a pessoa está em casa, mas não está disponível.

E quando o profissional mora sozinho e faz da sua casa seu espaço de trabalho? Não sofre com a interrupção de seus parentes, mas tem de ter disciplina para evitar que as rotinas e os afazeres da casa não atrapalhem o dia a dia do trabalho. “No início foi um pouco difícil separar o trabalho de arquiteta do dia a dia da casa. Sempre dizia que me sentia morando no trabalho, e não trabalhando em casa. Se acordava de madrugada com uma ideia, corria para o computador para desenvolvê-la. É claro que isso não deu certo. Mas aos poucos fui conseguindo definir melhor meus horários e hoje consigo conciliar bem”, comenta a arquiteta Aline Plácido que durante dois anos trabalhou em um escritório externo, mas que desde 2012 gere a empresa Up na Casa em sistema home office com sua sócia.

Voltando à questão física do ambiente, o que o arquiteto precisa para ter um bom espaço de trabalho dentro de casa? Graças à tecnologia, hoje basta um bom computador, uma boa impressora e um local para armazenar produtos e livros. Alguns profissionais ainda optam pelo desenho manual, então investem em pranchetas e mesas especializadas. Mas, para muitos, os softwares apropriados substituem com destreza o traço a mão.

Solidão no home office – Normalmente quem atua em sistema home office sofre com a sensação de isolamento, de solidão. “A falta de interação com outras pessoas é um ponto negativo. No escritório convivemos diariamente com colegas e, no home office, perdemos esse convívio. Essa foi a pior parte para mim, que tive de buscar alternativas. Então, eu e minha sócia, fazemos conferências e chamadas por vídeo para debater ideias e nos encontramos algumas vezes na semana, além de irmos sempre juntas nas reuniões e visitas às obras. Para nós, esse convívio é fundamental para mantermos nossas ideias alinhadas”, declara Aline que incentiva a participação em workshops, cursos, palestras e a realização de parcerias com outros profissionais para projetos específicos.

Mas será que todo mundo está apto a investir no sistema home office? “Acredito que todo mundo pode se adaptar a este formato se realmente quiser e acreditar que é o melhor para seu projeto de vida. Somos capazes de nos adaptar a diversos tipos de situação, mas só vale a pena se este esquema de trabalho for condizente com o desejo e com o estilo de vida da pessoa”, comenta Aline.

Produtos e serviços que contribuem com a rotina em home office – Internet banda larga com acesso remoto, hospedagem de arquivos e dados na nuvem e centrais telefônicas são alguns dos serviços oferecidos por empresas de tecnologia que ajudam a rotina de quem trabalha em casa. Programas como Team Viewer para acesso remoto a outras máquinas facilitam a troca de arquivos principalmente para quem atua em dois computadores diferentes: um no escritório e outro em casa.

Pensando na hospedagem dos arquivos e do servidor de projetos, o Google Drive tem uma boa adesão ao criar uma hospedagem na nuvem facilitando o acesso e a abertura de qualquer arquivo para os membros da empresa, independentemente de onde eles estejam (acessando via computador ou mesmo via dispositivo móvel).

Pensando no atendimento telefônico, o profissional de arquitetura muitas vezes não está no espaço físico para atender as ligações. E, estando em uma obra (local barulhento) ou mesmo em reunião com um cliente, não pode perder aquele contato. Para isso, empresas como a Prestus oferecem serviços como o Número Mágico, que oferece um compartilhamento de call-center e secretárias para atendimento 24 horas por dia.

homeoffice-vantagens

Voltar para home Espaço do Arquiteto
Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *