Cadeiras ergonômicas para escritório

Cadeira Executiva Infinite sem BraçoO trabalho produz diversos problemas de saúde, caso seja executado sem seguir os padrões de ergonomia. Neste quesito da ergonomia entram diversos assuntos, como os processos de trabalho, os móveis, o barulho, a luminosidade, o ritmo das tarefas e seu conteúdo e muitos outros fatores que atuam diretamente sobre a produtividade e a saúde dos funcionários. No quesito móveis, um dos temas mais abordados é o das cadeiras.

As cadeiras, em muitas atividades são responsáveis por suportar o funcionário apoiado durante todo o período de trabalho. Neste sentido a NR 17, que fala sobre a questão da ergonomia no trabalho, diz que:

“Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para esta posição”.

Por isso mesmo é fundamental que em cada atividade na qual o usuário passe a maior parte do tempo sentado, exista uma adaptação das cadeiras de maneira ergonômica.

Antes de falarmos especificamente e tecnicamente das cadeiras ergonômicas, é muito importante que os empregadores saibam que investir em ergonomia é antes de qualquer coisa, investir em melhora da produtividade.

Com os parâmetros ergonômicos respeitados, a empresa terá funcionários mais felizes, que se cansam menos para executar suas atividades, o que repercute diretamente na produtividade. Além disso, em longo prazo, a empresa terá funcionários que adoecem menos, que têm menos afastamentos e que desta forma, economizam recursos da empresa. Também serão evitados processos trabalhistas de trabalhadores insatisfeitos.

Voltando a falar especificamente das cadeiras ergonômicas, elas devem seguir certas especificações. Por exemplo, o item 17.3.2.1. da NR 17 diz que:

“Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto”:

1. Altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida;

2. Características de pouca ou nenhuma conformação na base do assento;

3. Borda frontal arredondada;

4. Encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar.”

Além disso, o item 17.3.4 prega que “para as atividades em que os trabalhos devam realizar sentados, a partir da análise ergonômica do trabalho, poderá ser exigido suporte para os pés, que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador”.

Além destes fatores, cada profissão em específico tem normas para os assentos e as cadeiras. O que é de conhecimento de todos é que elas devem proporcionar ergonomia, devem oferecer suporte para as costas, principalmente para a lombar, devem ser almofadadas e precisam oferecer uma superfície firme ao funcionário.

Por isso, invista em cadeiras ergonômicas, afinal será um investimento com retorno garantido, pois funcionário confortavelmente instalado rende muito mais, ficando mais motivado e produtivo!

 

Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *