Sabia que escritório “open space” é mais antigo do que você imagina?

A gente pensa que escritório open space, todo aberto sem paredes é algo moderno… é nada, esta história já aconteceu lá nos anos de 1950.

Com o objetivo de deixar os ambientes mais integrados e reduzir as diferenças hierárquicas, as empresas colocavam as pessoas num mesmo espaço, chefes e toda a equipe sentavam próximos, sem barreiras. Imagine o barulho!

Em 1960, como forma de melhorar o conforto acústico e a privacidade, surgem as famosas “baias” nos postos de trabalho. Também houve um aumento de equipamentos e papéis que muitas vezes eram sigilosos no conceito da empresa.

Mas aí o que aconteceu? A partir dos anos 2000, os ambientes no estilo open plan voltaram! A tecnologia chegou com tudo e com ela a liberdade para os cidadãos trabalharem onde quiserem, conectados pela internet com seus notebooks, dentro e até fora da empresa.

Novamente o objetivo passa a ser integrar as equipes, promover a comunicação e a interação de todo o time, mas com um diferencial: transparência no negócio. Atualmente, muitas informações que eram sigilosas são divulgadas e até promovidas dentro da empresa. Desta forma, as pessoas se sentem fazendo parte e trabalhando com engajamento para o negócio prosperar.

E empresas de tecnologia como o Google, Facebook, Salesforce começaram a puxar a arquitetura corporativa para o lado lúdico, interativo e humanizado.

No escritório da Aviva em Toronto no Canadá, as pessoas podem escolher onde querem trabalhar, dependendo da atividade a ser exercida. E os espaços são mais informais, garantindo um perfil mais humanizado.

Só que com o retorno dos espaços open space também voltou o que? O ruído.

Imagine um monte de gente num mesmo espaço, falando ao mesmo tempo, pisadas de sapatos, armários batendo, impressoras, ar condicionado, celular… nossa, é muito barulho!

O projeto corporativo passou a incorporar produtos para condicionamento acústico, deixando o local mais agradável e ideal para o tipo de trabalho a ser exercido.

No escritório da Aviva em Toronto no Canadá, um ambiente com sofás de encosto mais alto para melhorar o conforto acústico de quem estiver fazendo uma reunião ou uma atividade focada. Até a luminária é feita de lã acústica para absorver o som.

Atualmente existem diversos elementos que podem ser usados, cujas atenuações de ruídos devem ser analisadas para que seja alcançado o ambiente ideal.

– Painéis

– Baffes

– Nuvens

– Placas

Aqui na RS Design, temos uma linha de produtos acústicos para atender as demandas dos projetos corporativos. São materiais reciclados, feitos de lã de pet com diversas cores, que além do efeito benéfico de atenuação de ruído permite a composição de um design inovador e exclusivo nos espaços.

Neste espaço, foram colocados baffes da RS Design no teto, com algumas peças cinzas e outras laranjas, criando um espaço, além de adequado em termos de acústica (juntamente com outros elementos como piso, revestimentos nas paredes, etc.) muito agradável visualmente.

Outro recurso para amenizar os ruídos em salas é a Divisória de vidro, que além de bonita, proporciona conforto acústico, mantendo a amplitude do ambiente e o conceito de open space.

Sala com Divisória de vidro da RS Design, mantendo a ideia de visualização ampla de todo o ambiente, com o benefício do conforto acústico.

Atualmente, em tempos de pandemia, em que as pessoas precisam de certo distanciamento umas das outras, adivinhe o que voltou. Sim, os painéis divisórios entre os postos de trabalho.

Gente, parece que tudo é cíclico nesta vida!

Painéis da RS Design para separar os postos de trabalho, sendo utilizados nos escritórios para manter o distanciamento entre as pessoas, muito indicados em tempos de pandemia.

Além disso, foi necessário que de uma hora para outra, muitas pessoas ficassem dentro de suas casas nos famosos “home offices”. Algumas pessoas já voltaram a trabalhar presencialmente, outras continuam online.

E como será daqui para frente?

Pelos estudos que estamos acompanhando e também pela realidade que começa a apontar nos mesmos escritórios de referência, como Google e Facebook, o open space continuará acontecendo, principalmente em áreas para atividades coletivas que precisem instigar a criatividade e a colaboração.A tendência é de que o trabalho seja mais híbrido, atividades remotas mescladas com presenciais. E para isso, a empresa precisa preparar os espaços promovendo encontros entre as equipes, com estímulos de alta interação e comunicação. Nestes casos, os openspaces são imbatíveis.

Então, separamos para você algumas vantagens e desvantagens do espaço aberto.

 

Vantagens da adoção do open space

 

  • Maior senso de coletividade com consequente aumento da produtividade: com o espaço aberto, há uma tendência a ter uma maior interação entre os profissionais, o que é positivo para insightsno negócio;
  • Melhor aproveitamento de espaço e consequente economia: sem paredes, cabem mais pessoas. Com isso, a empresa acaba economizando ao não precisar investir em aluguéis, por exemplo, para receber novos contratados;
  • Versatilidade: como o espaço é aberto, é simples alterar a disposição dos móveis, sempre que necessário, seja para dar mais conforto ou até para aproximar, ainda mais, os colaboradores. Por isso é importante investir em mobiliário flexível e que pode ser facilmente configurado em novos layouts.

 

Desvantagens do open space

 

A principal desvantagem de projetos de arquitetura corporativa open space continua sendoo barulho. Se todo mundo está junto, naturalmente, há mais conversa. Isso, sem contar que, dependendo do serviço realizado pelo profissional, até mesmo o toctoc de um sapato de salto pode incomodar e desconcentrar.

Por isso, o projeto corporativo deve considerar soluções que colaborem para o conforto acústico dos colaboradores. O tratamento acústico é um conjunto de preparações no ambiente, envolvendo desde piso, paredes, tetos e objetos. Vamos apenas citar algumas dicas, mas o importante é contratar um profissional para elaborar um projeto personalizado para o seu espaço:

 

  • Produtos acústicos, como os que citamos acima (baffes, nuvens, painéis e placas)
  • Adoção de móveis com portas de fechamento automático suave;
  • Manutenção dos móveis para que eles não fiquem com ruídos com o passar do tempo;
  • Colocação de carpetes no chão, para suavizar o barulho do caminhar ou do arrastar de cadeira.
  • Espaços com cabines e sofás acústicos, que mesmo em um ambiente aberto podem ser um oásis de conforto acústico.
  • Produtos, como luminárias e mobiliário, revestidos com materiais acústicos.
  • Utilizar no projeto o próprio mobiliário, como um conjunto de armários, por exemplo, para criar uma barreira acústica num determinado espaço.

 

Na RS Design temos consultores para entender a sua empresa e quais as necessidades neste momento, alinhando com as perspectivas de futuro.

Fornecemosprojeto de mobiliário corporativo, produtos e ideias para que o seu escritório seja um lugar mais estimulante e preparado para as pessoas trabalharem bem. Entre em contato e peça um orçamento.

Afinal, se as pessoas estão se sentindo bem, irão trabalhar melhor. O que é bom para todos, inclusive para os resultados do seu negócio!

 

 

 

Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *