Como pequenos negócios sobreviveram à pandemia

A pandemia de coronavírus afetou empresas de todos os tamanhos, mas em muitos casos foram os microempreendedores individuais e microempresários que mais sentiram o impacto inicial. E os motivos para isso acontecer são vários. Primeiramente, é válido ressaltar que muitos pequenos negócios não possuem uma reserva financeira grande.

Dessa forma, acabam sofrendo mais com uma queda brusca no faturamento, como a que aconteceu durante a pandemia. Mas não é só isso. No geral, essas empresas ainda não estavam adaptadas para o trabalho remoto, nem para o sistema delivery de entregas ou até para atender por meio de aplicativos.

Dessa forma, precisaram fazer vários ajustes para que pudessem permanecer atuando e se adaptar aos novos tempos. Conheça algumas mudanças que foram necessárias.

Mudanças feitas por pequenos negócios durante a pandemia

Se você tem ou conhece quem seja dono de um pequeno negócio, provavelmente, sentiu que muitas mudanças foram adotadas. Veja algumas delas.

Home office

Não importa o tamanho da empresa. O fato é que , sempre que foi possível, a adoção do home office se tornou praticamente uma regra e para o pequeno negócio isso não foi diferente.

Claro, que essa mudança dependeu muito do tipo de empresa e no que ela atua. Enquanto um escritório de contabilidade, por exemplo, conseguiu mudar o estilo de trabalho, uma pizzaria precisou dos funcionários in loco. No entanto, é possível apontar o home office como uma das grandes mudanças trazidas pela pandemia.

Gerenciamento

Muitas empresas também não estavam prontas para realizar o sistema de gestão à distância. Por isso, precisaram adotar softwares ou aplicativos que permitissem que tudo o que acontecia na empresa pudesse ser acompanhado remotamente. Desde as contas para pagar, até o controle de estoque passou a ser informatizado.

Cuidados com os EPIs e distanciamento social

Os pequenos negócios também precisaram se preocupar com o distanciamento dentro do ambiente laboral. No caso de escritórios, por exemplo, as mesas precisaram ser colocadas de forma separada, para evitar a transmissão do vírus.

Já quando a linha de produção não permite tal distanciamento, o uso de placas divisórias, translúcidas ou acústicas, também foi adotado. Além disso, houve um cuidado maior com os equipamentos de proteção individual. Afinal, o uso de máscara segue sendo obrigatório.

Diversos tipos de Divisórias entre mesas da RS Design, visando manter o distanciamento para evitar a propagação do vírus.

Delivery

Quem tem um restaurante, lanchonete, bar ou algo semelhante, não teve muita alternativa. Por bastante tempo, as portas precisaram ficar fechadas e o atendimento delivery foi a alternativa.

Para se ajustar a esse momento, muitos aderiram a algum app que já existe para divulgar os seus pratos e atender aos clientes que estavam em casa. Já outros criaram o seu próprio delivery e focaram em um site pelo qual os consumidores pudessem pedir o seu prato.

Além da adoção da tecnologia, veio também o trabalho do entregador. Em alguns casos, os pequenos negócios já tinham uma pessoa que fazia atividade externa e esse passou a entregar os pedidos. Em outros, o próprio dono se transformou em motoboy para conseguir manter o seu negócio funcionando.
Em suma, o pequeno negócio precisou investir e, ao mesmo tempo, tentar ajustar os gastos, para conseguir se manter. Agora, muitos estão se adaptando ao modelo híbrido. Veja o que é isso.

Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *